inescburg@yahoo.com.br

terça-feira, 12 de agosto de 2008

Monsanto terá curso em universidade pública

06/08/2008

Do Brasil de Fato

O jornal Brasil de Fato desta semana (ed. 284) denuncia mais uma acordo que coloca instituições públicas a serviço dos interesses privados. A Monsanto firmou um convênio com a USP (Universidade de São Paulo), no início deste ano, cuja versão original do contrato, revisto após pressão de professores, submetia a USP a sigilo absoluto e a subordinava a uma lei dos EUA. Uma cláusula que permaneceu no documento, a oitava, estabelece que a Universidade e sua Fundação, a Fusp, são obrigadas a manter sigilo em relação à toda informação relacionada às atividades da Monsanto.

A parceria entre a USP e a transnacional estadunidense se insere dentro de um projeto de pré-iniciação científica para estudantes do ensino médio da rede estadual, feito também em parceria com a Secretaria de Edu cação do Estado. A USP disponibilizará seus laboratórios e alguns docentes que aceitem receber esses estudantes. A Monsanto financiará parte do projeto, num valor de R$ 220 mil, destinado a garantir bolsas a professores da rede estadual que acompanharão os alunos participantes. Ao todo, o projeto atingirá 500 estudantes e 60 docentes. As bolsas estudantis serão, por sua vez, financiadas pelo banco Santander, com uma verba bastante superior àquela fornecida pela Monsanto.

Para Ermínia Maricato, representante docente da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo no Conselho de Pesquisa da USP, o convênio com a transnacional pode prejudicar a imagem da instituição de ensino. "Não concordo que a USP assine convênio com essa empresa, contra a qual existem fatos graves", finaliza.

Leia a íntegra da matéria no jornal Brasil de Fato desta semana.

Nenhum comentário: